Música

Fantasy x Limitless

13:12


Eu sinto como se antes de tudo eu tivesse que pedir desculpas pela qualidade da última postagem, porque por mais que eu pense em várias maneiras de tentar melhorá-la, eu não consigo encontrar alguma e continuo achando que ficou uma bela bosta...Então, foi mal ae. 💁

Pois bem, enquanto eu estava limpando a casa, eu recebi uma luz, falando que Fantasy do JBJ é bastante parecida com Limitless do NCT 127, então eu resolvi que iria escrever sobre isso, porque...Porquê não?

Antes de tudo, as duas músicas tem o fator "QUE HINO!"; Pessoalmente acho que Fantasy te pega e te dá uns tapas na cara logo no começo, enquanto em Limitless, a música vai se construindo até a parte do Taeyong (muita gente fala que essa parte parece o menino do filme O Grito 😂), quando finalmente não dá pra controlar a vontade de gritar: "QUE HINOOOOOO!"


O engraçado é que se você isolar só a batida de fundo (eu não sou musicista então não sei como se chama, dá licença), as duas músicas utilizam basicamente a mesma batida. Eu infelizmente não consegui encontrar as informações sobre quem foi o produtor de Fantasy para fazer uma comparação real com Limitless (clique aqui para ler os créditos do álbum), porém já é conhecido que nessa vida nada se cria, tudo se copia. A única coisa que sabemos sobre Fantasy é que os rappers do grupo (A-Tom e Hyun Bin) foram os responsáveis por escreverem suas próprias linhas.

Pra finalizar o post, fiquem com esse mashup, de uma pessoa que possivelmente teve a mesma ideia que eu, e não se esqueça de gritar: QUE HINOOOOOOOOOOOO


I'm your limitless fantasy~
Beijos e até o próximo post! 💦

BTS

O que está rolando?

22:15

Ou: Por quê não tem atualização aqui faz tempo
E também: Ainda não foi dessa vez que o blog morreu. 🎈


Infelizmente eu ainda não arrumei um emprego (me dá um emprego, plmdds), então a falta de posts aqui é puramente culpa minha.

O que eu andei fazendo durante esse sumiço?

Primeiramente, eu estive durante uma semana na República Dominicana! Talvez eu escreva sobre isso aqui, principalmente porque foi um pouco frustrante, então será algo do tipo: "É bom você considerar essas coisas se estiver querendo ir para Punta Cana em breve";


Segundamente, eu andei passando um tempo bastante considerável jogando The Sims 4. Depois de ficar de saco cheio da família gigante com a qual eu estava jogando, decidi matar um por um sendo engolidos pela Planta-Vaca; Os sims que sobraram eu simplesmente deletei, e demoli a casa depois. Atualmente já estou jogando com uma nova casa e uma nova personagem;

Durante minha viagem também consegui me adiantar um pouco na leitura de A Arte de Enganar, de Kevin Mitnik (um livro até que interessante, sobre Engenharia Social), e também comecei a ler Romance Moderno, de Aziz Ansari (Eu virei super fã do Aziz depois de assistir às duas temporadas de Master of None e estava super ansiosa para ler esse livro - Provavelmente vai ter post sobre aqui no blog).


E o que eu andei assistindo?

Terminei a segunda temporada de Stranger Things (que tá um amorzinho apesar de *SPOILER* Eu não ter gostado da irmã da Eleven *SPOILER*); Assisti também às 4 temporadas de Sherlock (que tem um final meio uó, mas deixa pra lá), e também não posso deixar de divulgar essa série que mal começou e já considero pacas: Mindhunter;


Também comecei a assistir The Unit e MIXNINE. Como eu dependo dos fansubs pra conseguir assistir aos episódios, não consigo fazer ainda uma análise muito detalhada sobre os programas, porém se eu puder já fazer uma comparação, The Unit parece ter muito mais capricho em relação à produção e edição dos episódios - Acrescentando também que The Unit já tem 3 singles lançados, enquanto MIXNINE só tem um (com uma coreografia que foi roubada na cara larga do BTS 😤) -. Ambos os programas já estão envolvidos em polêmicas, tanto por The Unit não ter dado a devida importância aos membros do TOPPDOGG, quanto MIXNINE, por ter o Yang Hyun-Suk (mais conhecido como cara-de-lagarto), agindo feito um boçal com os participantes;


A segunda temporada de Wanna One GO também foi lançada, já que o comeback do Wanna One está logo aí (13/11/17), e eu nem preciso dizer que Kang Daniel está abalando todas as minhas estruturas (as poucas que me restam).

Beijos e até breve!

textos

Do que eu tenho medo?

19:36


Dando continuação a série de posts auto-reflexivos, que eu comecei com esse texto aqui, falando sobre as coisas que eu gostaria de dizer para alguém com quem eu não tenho mais amizade, resolvi escrever mais um texto aqui no blog.
Eu confesso que eu estou com bastante receio de publicar esse post, porque ele vai ser bem pessoal, e apesar de não parecer, eu não gosto de expor muito sobre eu mesma aqui (eu já falei isso mil vezes, eu sei).

Eu acho que o maior medo racional da grande maioria das pessoas é a morte. Eu honestamente tenho mais medo da morte de pessoas - e "não pessoas" (tipo minha gata, óbvio) - que são super queridas e importantes pra mim, do que de morrer em si; Então eu vou parar de enrolar e dizer logo que o meu maior medo é o fracasso.


Eu sei que a ideia de fracasso é meio relativa, algumas pessoas se sentem deprimidas por não ter uma vida assim como a de outras pessoas consideradas bem sucedidas, e por isso se sentem fracassadas algumas vezes. Comigo é um pouco diferente...

Eu acho que sou uma pessoa que sempre teve que lidar com muitos obstáculos na vida, eu nunca fui uma criança prodígio e sempre tive bastante dificuldade pra me dar bem na minha vida acadêmica; Eu tive sorte de andar com os nerds basicamente a minha vida inteira, e eu sou uma pessoa que sim, gosta de aprender e frequentar aulas interessantes, mas não significa que eu sempre tive facilidade para aprender coisas e principalmente para realizar exames.

Então acho que uma das primeiras vezes que eu tive que lidar com o fracasso na minha vida foi quando eu prestei uma prova para fazer um curso técnico na escola onde eu estudava e eu não passei. Todos os meus colegas de classe passaram, e uma dessas pessoas "queridissimas" ainda fez questão de tirar uma com a minha cara, dizendo: "Você escreve tão bem, pena que não passou no curso técnico" - Justamente porque eu sempre acabava me saindo bem nas disciplinas que envolviam redação de textos, porém sempre me dei muito mal na hora de fazer provas hahah.


Eu acho que o sentimento que vem aliado ao fracasso é a vergonha. Na época eu senti muita vergonha de eu mesma por não ter alcançado o mesmo que as outras pessoas. Hoje em dia eu penso que às vezes é até melhor que as coisas não tenham acontecido da forma como eu queria, porque a minha vida dá umas reviravoltas tão loucas que eu nem sei...

Quando eu terminei o colégio, resolvi fazer uma faculdade em uma área com a qual eu me identificava, e apesar de ter sido tudo de bom, eu não consegui um emprego na área de jeito nenhum. Mais uma vez o fracasso. Hoje eu entendo que pra você trabalhar na área de moda, você precisa ter muitas indicações, e eu até hoje não sou uma pessoa de cultivar muitas amizades, quiçá contatos profissionais.

Às vezes eu tento fingir que aquilo não foi um fracasso, porque apesar de tudo, eu não me deixei derrubar por muito tempo e tentei mudar de área rapidamente, algo que eu achei que tivesse dado certo, afinal até o início deste ano eu ainda tinha um emprego na área da qual eu me formei por último hahaha.


Quando eu pedi as contas da empresa, eu achei que iria conseguir resolver as coisas rápido, afinal o meu currículo não é nenhuma porcaria, e eu já tinha uma experiência profissional sólida, porém o que eu encontrei na realidade foi um tapa na cara. Mais uma vez o fracasso?

Em cada entrevista de emprego que eu vou (ou ia até algumas semanas atrás, porque parece que desistiram de me chamar hahahah), eu volto me sentindo cada vez mais incapaz; Me pego todos os dias em um dilema sobre tentar ou não mudar de área outra vez, ou apenas tentar desesperadamente arrumar um emprego qualquer, pra ter pelo menos dinheiro pra poder comprar meus lanches.

Alguém me dá um emprego com redação de textos, plmdds 😢
Até o próximo post!

Séries

Strong Woman Do Bong-Soon

18:31


Depois de demorar muito (mais muito mesmo) tempo para finalizar White Nights - ô dorama chatinho, viu -, resolvi emendar mais um dorama sem nem pensar; Eu que já estava na empolgação por Strong Woman Do Bong-Soon ter finalmente entrado no catálogo da Netflix, passei este na frente de todos os outros dramas que eu tinha planos para assistir.

Strong Woman Bong-Soon é um dorama sul-coreano de comédia romântica, exibido pela JTBC e possui 16 episódios com duração média de uma 1 hora/cada. Conta a história de Do Bong-Soon, uma garota que possui super força (uma herança de família passada entre as gerações de meninas - apenas meninas), e seu sonho de trabalhar em uma grande empresa de games.


Logo no início do drama, somos apresentados à Min-hyuk, o CEO da empresa de games da qual Bong-Soon é fã; Min-hyuk é um jovem solitário, que possui uma relação conturbada com a própria família, e possui um tipo de obsessão por Bong-Soon desde o momento em que ela salvou sua vida, quando ele era adolescente.

Bong-Soon por sua vez, é apaixonada por jogos e possui um desejo muito grande de criar um game onde a personagem principal seria ela mesma. Os dois se conhecem quando Bong-Soon enfrenta uma gangue de mafiosos e Minhyuk acaba sendo testemunha do acontecido. Ele se envolve na situação para defender a identidade secreta da garota.
Logo ali ele tem a ideia de contrata-la como guarda costas, já que ele está sofrendo ameaças constantes contra sua vida e sua empresa. Ele tenta se aproximar de Bong-Soon, mas ela não dá muita bola pra ele, uma vez que ela é apaixonada por seu amigo de infância, o policial Guk-Doo.


Strong Woman Do Bong-Soon é o tipo de dorama em que acontecem muitas coisas em um episódio só, então você se prende a ele muito rápido. Além de ser super engraçado e fofinho, pois a própria Bong-Soon é uma personagem muito fofa e o Min-hyuk...Nem se fala; Ele é muito doidinho e possui um carisma enorme.

Como se não bastasse ser um ótimo dorama de comédia romântica, a estória principal do drama gira em torno de um maníaco que está sequestrando várias mulheres do bairro onde Bong-Soon mora. Bong-Soon tenta equilibrar o seu dever como guarda-costas, com a obrigação que ela sente em encontrar e prender o maníaco sequestrador.

Eu tenho preguiça de assistir dorama fora da Netflix...😗
Até o próximo post!