Scarlet Heart: Ryeo

11:04


Também conhecido como Moon Lovers: Scarlet Heart Ryeo, esse dorama de 20 episódios, transmitido pela SBS em agosto de 2016, conta a história de Go Ha-Jin/Hae Soo, uma garota que durante um acidente envolvendo afogamento - sob um eclipse solar -, é transportada para a era da Dinastia Goryeo e acaba se ~envolvendo demais~ na vida da família real.

Pra começar essa resenha/crítica, eu quero dizer que eu nunca tinha assistido um dorama de época antes (porque como eu já disse no post sobre DOTS, não são de meu interesse), porém, uma amiga insistiu tanto que eu o assistisse, e eu acabei convencida logo após ela me mostrar o elenco cheio de atores gatos. q
E o assisti até o final...Mais de raiva do que por ter gostado em si.

[AVISO: ESTE POST ESTÁ BORBULHANTE DE SPOILERS, LER É POR CONTA E RISCO PRÓPRIOS!]

Logo quando Ha-Jin acorda de seu afogamento, percebe que foi parar no passado e que está ocupando a vida de outra garota, já que as pessoas a chamam pelo nome de Hae Soo, uma garota que pertence a uma família respeitada, e é prima da esposa de um dos 13 príncipes do reino. ( ͡° ͜ʖ ͡°)


Quando você pensa em uma garota interpretada pela IU, em um reino com 13 príncipes, a mão da fanfic chega até a tremer? Você lembra dos animes com harém inverso? Pois eu sim, e eu fui toda iludidaney hahah. Ainda mais porque logo na primeira cena do dorama, em que os príncipes são apresentados, a grande maioria deles estão em seu espaço de banho, sem camisa hahaha então né, eu nem preciso dizer que o nível de apelação foi de mais de 8000.
E eu confesso que depois de assistir ao primeiro episódio, eu me senti totalmente viciada no dorama, como se eu devesse assisti-lo até o final, custe o que custasse.

Porém, assim como em Game Of Thrones, as coisas em Scarlet Heart Ryeo nunca tem um final feliz. Esse é um dorama pesado, cheio de sofrimento e mortes. Não é um dorama de comédia ou de romance (apesar de ter um pouco disso), é um drama sobre disputas ao poder e vinganças.
Ah, e sabe os seus ships? Eles serão totalmente inúteis MUAHUAHUA 💀

O meu ship desde o início foi obviamente Hae Soo e Wang Wook (interpretado por Kang Ha-Naeul 😍), apesar de ele ser muito errado. Veja bem, o cara é casado e começa a desenvolver sentimentos pela prima da própria esposa. Erradíssimo. Mas no meu coração ele era um bom cara, que provavelmente foi obrigado a se casar com alguém que nunca amou, então sabe como é, o coração não sabe o que faz às vezes.


Porém, o irmão ovelha-negra (ou cachorro-lobo rs) da família resolve voltar para a sua casa - que sempre o rejeitou - depois de muitos anos, e apesar de ele ser temido por todo o reino, a única pessoa que não tem medo dele é Hae Soo. Não precisa nem falar que, ao se deparar com a primeira pessoa que não tem medo dele, Wang So (interpretado por Lee Jong-Gi), acaba se apaixonando pela moça.


O dorama todo pode ser resumido em uma briga eterna entre irmãos pelo trono, onde Wook e So colocam como objetivo principal terem Hae Soo dos seus lados. Wook é o irmão mais contido (e cagão), que tenta alcançar os seus objetivos através da política, enquanto So é o irmão que conquista tudo o que quer na base do sangue e da espada.
Eu, assim como aconteceu em DOTS, achei que o drama poderia ter sido finalizado no episódio 13, quando o príncipe da coroa (príncipe Wang Mu, interpretado por Kim San-Ho) finalmente conseguiu o trono, e todos os irmãos estavam felizes, porém, não teria feito muito sentido se fossemos seguir a "história real" - na verdade eu nem sei qual é a história real, mas tudo bem -, então tiveram que prolongar a história, e com isso, prolongar o meu sofrimento.

Confesso que não gostei muito de como a história mudou de rumo no meio do dorama, colocando o príncipe Wook como vilão, ao mesmo tempo em que tentava suavizar a imagem do príncipe So. É meio óbvio que fazem isso para que os papéis de protagonista e "second-lead" fiquem bem marcados, mas o príncipe Wook parecia ter um coração tão puro no início - olha a biased aqui -, porém meio que de uma hora pra outra, ele percebeu que só poderia ter Hae Soo se tivesse o trono, e isso não fez muito sentido pra mim, pois no início ele parecia desejar abdicar de tudo isso para ficar com Hae Soo. 💭



No final, tudo o que ambos os príncipes principais (Wook e So) fizeram foi pra tentar ficar com Hae Soo, porém eu acho que quem se mostrou mais ganancioso no fim mesmo foi o So, pois assim que ele conseguiu por as mãos no trono, mostrou-se mais apaixonado pela vingança do que por Hae Soo, que sempre só quis que os irmãos não brigassem e que ninguém saísse ferido.


Me irritava bastante que o rei So agisse de forma tão cruel com seus súditos, porém escondia tudo o que estava acontecendo de Hae Soo, e agia com ela como se tudo estivesse bem, como se ele não estivesse mandando matar qualquer um que ameaçasse o trono, até mesmo seus próprios irmãos.
Outra coisa que me incomodou bastante no drama é a forçação de barra pro público simpatizar com o príncipe Wang So, tentando justificar o jeito e as atitudes dele por conta do passado sombrio, quando se você não cair nessa ilusão, percebe-se que ele não tem nada de bonzinho, ele na verdade é bem egoísta e nunca mudou, nem pela Hae Soo. Ele fica feliz com a possibilidade de matar o irmão (Wook), porque ele sabe que assim Hae Soo será só dele, e recusa a permitir que ela abandone o castelo - mesmo ela estando infeliz com a vida lá -, porque ele não suporta a ideia de viver longe dela. Ele literalmente impede a felicidade da pessoa que ele ama para garantir a própria felicidade.
Porque vamos ser francos, a Hae Soo ainda amou o So por muito tempo mesmo depois de sair do castelo, porém ela não era feliz vivendo dentro do castelo, lá ela vivia sofrendo ameaças, era usada como uma marionete pra quem quisesse fazer algum mal ao rei, vivia no meio de disputas e todos com quem ela se importava acabavam morrendo.


No final, o real vilão do dorama inteiro era o príncipe Wang Won (interpretado por Yoon Sun-Woo), que sempre ficava como apoio ao irmão que quisesse destronar o atual rei - não importasse qual este fosse -, e que aconselhou as más decisões de Wook e fez Chae-Ryung (interpretada por Jin Ki-Joo), amiga de Hae Soo, envenenar o rei, entre outras coisas ruins que ela fez.
A morte de Chae-Ryung foi outra coisa que me abalou bastante, uma vez que ela, órfã e miserável, apaixonou-se desde cedo por Wang Won, que apenas a manipulou às suas vontades, para descartá-la e deixá-la para morrer.

[Adendos do amô:]

  • É até meio micão dizer que as maiores personagens do dorama, em termo de feitos honrosos, tenham sido as mulheres, entre elas quero destacar a grande heroína do dorama: Lady Oh (interpretada por Woo Hee-Jin), a concubina real que se colocou no lugar de Hae Soo, quando esta corria risco de morrer na forca, acusada erroneamente regicida, e aceitou a punição que estava destinada para Hae Soo. Ela, Lady Oh, que sempre amou o rei Taejo (interpretado por Jo Min-Ki), e ficou do lado dele mesmo ele tendo a descartado como possível rainha.
  • Uma salva de palmas para a atuação do Baekyun como o príncipe Wang Eun. Teve gente que achou desnecessário o papel dele, pois ele interpretava um príncipe bastante jovem e imaturo, porém toda vez que ele aparecia, enchendo a tela de aegyo, eu começava a sorrir que nem uma boba hahah Ele foi meu príncipe favorito por pelo menos 70% do drama.
  • Vários problemas no dorama teriam soluções tão óbvias que chega até ser ridículo de se falar: por exemplo, eu já tinha pensado na ideia da maquiagem pra esconder a cicatriz da cara do So desde o início - aliás, pra quê aquela máscara gigantesca estilo Fantasma da Ópera, para uma mísera cicatriz? As pessoas tratavam ele como se ele fosse o Quasímodo, quando não tinha nada demais 😶 -; Outra coisa são as "leis" que eles tem que seguir...Se você é o rei, não pode mudar as leis como quiser? O Temer nem é o presidente eleito e tá criando várias leis aí no Brasil pra foder com a gente rs
Pra finalizar esse post gigantesco, eu quero salientar uma situação que ocorreu em torno do 9º episódio, que foi uma cena que gerou controvérsias em todo o mundo, esta cena em questão é a que Wang So beija Hae Soo à força, cena esta que foi claramente uma cena de abuso sexual.


Muita gente tentou justificar - inclusive os redatores do dorama -, através do passado sombrio de Wang So e em "como as pessoas provavelmente agiam na era da Dinastia Goryeo".
Acho que as pessoas que justificam uma cena de abuso - tentando transformar aquilo em romance - em um dorama, deveriam dar um passo para trás e pensar que não importa se o dorama se passa na era da Dinastia Gyoreo, ele está sendo transmitido no ano de 2016, e as mulheres são abusadas todos os dias, a maioria delas ainda pensando que se trata de um sinônimo de amor. Esse tipo de cena é super normalizada nos dramas asiáticos e é uma coisa que as pessoas precisam parar pra pensar. Ou a gente que ama os doramas passamos a não tolerar mais esse tipo de cena, ou a gente dá um passo para trás e reconhece os erros nos enredos e nos atentamos ao fato que isso não é legal. (Aliás, pra quem quer ler mais sobre machismo nos doramas, recomendo este texto)

Não faz sentido cobrar fidelidade histórica em um dorama, até porque você tá tratando de um dorama que fala sobre viagens no tempo e uma das personagens era do ano de 2016. Hae Soo se comportava na maioria das vezes (pelo menos no início do dorama) como alguém que veio mesmo do ano de 2016 - alguém com posição definida sobre sua própria vida e vontades definidas -, e eu senti que ela, conforme os episódios iam passando, ia perdendo a sua essência, pra se tornar a personagem submissa que estamos todos acostumados a ver nos doramas. E isso quebrou o meu coração. 💔

You Might Also Like

0 comentários